Pesquisar este blog

SEJAM BEM VINDOS AO BLOG DO MARCILIO BOIÃO

COM DEUS NADA ME FALTARÁ

VOCÊ É MAIS UM VISITANTE A ESSE BLOG

sábado, 26 de julho de 2014

Flutuador registra captação irregular de água por mansões em Brasília

Equipamento da TV Globo identificou uso da água para irrigação de grama.
Collor diz ter autorização; Eunício Oliveira afirma que não usa água do lago.

Mansões à beira do Paranoá, em Brasília, captam água do lago de forma irregular, mostra reportagem do Flutuador da TV Globo desta quinta-feira (12) (veja vídeo ao lado). Entre as residências que usam água para irrigar jardim estão as de dois senadores – Fernando Collor de Mello (PTB-AL) e Eunício Oliveira (PMDB-CE).

A assessoria do senador Oliveira informou que há uma nascente sob o terreno da casa, que alimenta dois pequenos lagos na propriedade, e que a tubulação existente no local serve para regular a vazão e a oxigenação da água.
A assessoria do senador Fernando Collor de Mello informou que ele tem autorização da Agência Nacional de Águas (ANA) para fazer um poço na Casa da Dinda e que o cano que liga o lago à residência é “resto de uma instalação”. A ANA não confirmou que tenha dado a autorização ao senador.
Segundo a Agência Reguladora de Águas do DF (Adasa), ninguém pode retirar água diretamente do lago, a menos que tenha autorização – concedida pelo órgão apenas ao Palácio da Alvorada e a um clube de golfe.
De acordo com a Adasa, a autorização foi dada nesses dois casos porque a Alvorada e o campo de golfe têm áreas extensas de gramado. A abertura de poços artesianos para irrigar esses locais causaria impacto semelhante ao da abertura de é extensa e o impacto ambiental seria o mesmo do que se fossem construídos poços artesianos.
Responsável pela fiscalização, o órgão informou que vai notificar os moradores. A agência disse que aqueles que não retirarem as instalações irregulares poderão ser multados em até R$ 100 mil.
“Se você roubar água, vai diminuir o volume do lago. Isso causa prejuízo para a prática de esportes, para a captação de água e produção de energia”, afirma o diretor da Adasa Diógenes Mortari.
Ligações clandestinas
A reportagem da TV Globo mostrou que na Casa da Dinda, de Fernando Collor, um cano capta a água direto do Paranoá para o jardim. A tubulação fica escondida entre pedras, no trecho do lago, e sob a terra, na margem.
Na casa de Oliveira, a tubulação que leva a água para o jardim fica sob o píer. O equipamento bombeia a água fica submerso. Segundo a Caesb, uma bomba pequena é capaz de retirar até 2 mil litros de água por hora do lago.
Fonte: http://g1.globo.com/distrito-federal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O espaço deve ser usado de forma consciente e respeitosa. Críticas, sugestões e opiniões são moderados pela administração do site. Comentários ofensivos, com expressões de baixo calão, ou manifestações de cunho político e/ou eleitoral, não serão aceitos.

Comentar

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.